terça-feira, 18 de agosto de 2009

Conto da Mel

Oi, pessoas e pessouos!

Eu só estou postando porque muita gente posta e eu tenho que continuar aqui, para que vocês lembrem que eu existo, sabe?
E eu pensei em escrever sobre MUITAAAAS coisas. Desde "o prazer de escrever e ser reconhecido", "o que é de uma escritora sem seus leitores" e "a trilogia Fronteiras do Universo", até "como eu odeio a escola". Mas não tenho tempo para escrever sobre nenhuma dessas coisas. Um dia eu escrevo e posto. Hoje não vai dar.

Tá, tá, tá. Tenho que parar de agir como uma completa maluca.

Eu vou postar um conto que eu escrevi. Pode, né? *olha para a Marii*

É meio malvado. E macabro. E... e... bom, leia e comente.





Não Sofra Por Mim....

...Não Vale a Pena




_Ah... Eu vou fazer você esquecer, Nicolas. E como eu vou.. – murmurei lentamente, com meu olhar fixo na faca que repousava sobre a mesa.

Havia chegado à hora, finalmente, eu estava pronta. Depois de todos aqueles anos, lutando por seu amor, por seu carinho, por sua atenção... Depois de tantos anos sofrendo, consegui te enfeitiçar, te apaixonar.

E agora, por amor, iria livrá-lo deste sofrimento. Deste sofrimento que é amar e não ser amado, querer e não ser querido. Sonhar com aquele que não lhe quer bem.

Você, querido, seria eternamente agradecido ao bem que te farei. Ah, e como será.

Já pensou? Impedirei você de continuar pensando em me ter, desejando-me em seus braços, delirando por meu beijo. Eu vou fazer tudo ficar bem fácil. Cortarei o mal pela raiz.

Guardei a faca dentro de um lenço de seda vermelho como sangue, como seu sangue. Coloquei-o com todo o cuidado em minha bolsa e olhei-me no espelho.

Fitei minha pele alva, meus olhos verdes e meu cabelo escuro, totalmente liso. Vestia um vestido preto, justo e tomara-que-caia. Era lindo, perfeito para a ocasião.

Caminhei reta até o bosque, sem olhar para trás nenhuma vez. Já era noite e fazia frio. Não precisei de casaco, não era necessário, meu nervosismo me aquecia.

Cheguei a tal clareira, você estava de costas para mim, olhando à lua minguante.

_Nicolas – chamei, com uma voz suave, gentil.
_Ah! Elisa, nem te vi chegando, querida. – ele falou, se aproximando para me beijar. Desviei o rosto.

Ele me olhou desconfiado, observou o que vestia e perguntou para onde eu iria tão bem arrumada.

_Já estou aqui. – respondi.

Nicolas me encarou confuso, sem entender o que eu queria dizer.

_Eu te amei, loucamente, Nicolas. Desde que era pequenina. Sempre sonhei em estar do seu lado, em te chamar de meu. – comecei, olhando fixamente em seus olhos – e você nunca deu a mínima. Estava sempre mais interessado em meninas mais bonitas ou mais inteligentes que eu.
_Eu te amo, minha lin- ele começou, tirando alguns fios de cabelo de meu rosto e colocando-os atrás de minha orelha.
_Eu sei – murmurei, deixando uma lágrima escorrer solitária -, querido.
_Então? Por que diz essas coisas tristes, se temos um ao outro nesta noite tão linda?
_Finalmente você se apaixonou por mim. – disse, encarando seu olhar ainda confuso.
_Sim. Já não era bem tempo, não é mesmo? Sei que demorei, amada, mas não pretendo te abandonar, nunca. Eu juro.

Aproximei-me dele, sorrindo, envolvi seus ombros com meus braços e, com uma mão livre abri a bolsa. Segurei, firmemente a faca e retirei-a de onde estava.

_Suas promessas não importam mais para mim. – sussurrei, no pé de seu ouvido. – Eu não te amo mais. Mas sou boa, diferentemente de você. Não vou permitir que sofra por minha causa, por isso, acabarei com o seu sofrimento antes que ele se quer comece.

Cravei, rapidamente, a faca em suas costas. Afastei-me e o vi cair no chão. Sangrava muito.

_Adeus. – disse, com a voz extremamente gentil.
_Elisa... – chamou, com a voz que lhe restava.

Caminhei lentamente de volta para casa. Novamente, sem olhar para trás.






*Fim*

Espero que tenham gostado. E lido até o final.

Beijos

Harry Potter, mais do que simples Magia


[lumus]Escondida em meu quarto, leio no escuro, sob grossas camadas de cobertores que não vazem luz alguma. [Reducto] Uso o feitiço para matar algum bicho voador que ameaça minha estabilidade emocional e, consequentemente, minha clandestinidade nas sombras. [accio] Convoco uma pena até mim, afinal, quero marcar as páginas em que morri figurativamente, mesmo que isso seja como marcar minha pele à fogo. [Bombarda] o Feitiço ecoa em minha mente, enquanto imagens de Sírius voando em Bicuço me assombra os sonhos. Ele não devia estar fugindo. [Abaffiato] Usado nas diversas vezes que não quis que Dolores Umbridge ouvisse nossas conversas. [Prior encantatem] Foi o feitiço usado para descobrir o último feitiço que Dumbledore lançou, aquele que me salvou a vida. [Avada Kedavra] Voldemort me ataca, mas não me mata, somente destrói sua própria Horcruxe. Agora só falta Nagini... Neville dá conta dela... E agora já está na minha hora. A qualquer momento alguém pode passar por aqui, ver a luz acesa e querer saber porque estou escrevendo como Harry Potter... Melhor não dar motivo para falarem... Afinal, Harry Potter foi e sempre será uma verdadeira lenda... [Nox]

Harry Potter foi o primeiro livro que eu li por livre e espontânea pressão (A pedra Filosofal), o primeiro livro que eu me desesperei para ler tudo (O prisioneiro de Azcaban), o primeiro livro que eu chorei por ter chegado ao fim (A ordem da Fênix), os primeiros livros que eu realmente me emocionei (o Enigma do Principe e As relíquias da morte), a primeria série que eu me viciei...
Harry Potter foi e sempre será a coletânea que me introduziu no mundo literário, os livros que me fizeram roer as unhas e comer as páginas. Eu amo, idolatro e defendo até o fim. Tenho orgulho de ter vivido no mesmo século que Joanne Rowling... A 'rainha' das escritoras, minha 'mãe' no mundo bruxo..
Eu só tenho a Agradecer imensamente a essa mulher, que tanto fez por milhares e milhares de leitores ansiosos e alienados.
Sei que a intenção do blog não é essa, mas eu me senti quase que obrigada a explicitar meu amor (verdadeira adoração pela série)
Obrigada a todos que leram :}

Ps: Todos os textos são de minha autoria, só para deixar claro :}